segunda-feira, 1 de setembro de 2014

TORPEDO 1244



“A Igreja nos diz que Jesus está presente na Escritura, em sua Palavra. Por isso é tão importante ler, durante o dia, um trecho do Evangelho  para que? Para aprender? Não! Para encontrar Jesus, porque ele está em Sua Palavra. Cada vez que lemos o Evangelho, encontramos Jesus. E como receber esta Palavra? Como se recebe Jesus, isto é, com o coração aberto, humilde, com o espírito das Bem-aventuranças, porque Jesus veio assim, em humildade; veio em pobreza, veio com a unção do Espírito Santo”.

Homilia em 1.9.2014

TORPEDO 1243



“A Palavra de Deus é uma coisa diferente, que não é igual à palavra humana, sábia, científica ou filosófica... Não! É outra coisa: vem de outra forma”.

Homilia em 1.9.2014

TORPEDO 1242



“Não se anuncia o Evangelho para convencer com palavras sábias, mas com humildade, porque a força da Palavra de Deus é o próprio Jesus, e somente quem estiver com o coração aberto pode acolhê-lo”.

Homilia em 1.9.2014

domingo, 31 de agosto de 2014

TORPEDO 1241



“Evangelho, Eucaristia, oração: é graças a estes dons do Senhor que nos podemos conformar, não ao mundo, mas a Cristo, seguindo-o no seu caminho, a via do perder a própria vida para a encontrar. Perdê-la no sentido de doá-la, oferecê-la por amor e no amor… Doar assim a vida, comporta o sacrifício, a cruz, para recebê-la novamente purificada, libertada do egoísmo e da hipoteca da morte, plena de eternidade”.


Angelus em 31.08.2014

TORPEDO 1240



“Portanto é necessário renovarmo-nos continuamente, alimentando-nos da linfa do Evangelho.
Mas como conseguir isso, na prática? Sugerindo, antes de mais, a leitura e a meditação quotidiana do Evangelho, de tal modo que a palavra de Jesus esteja sempre presente na nossa vida… E também a participação na Missa dominical, para uma pessoa se encontrar com o Senhor na comunidade, escutando a sua Palavra e recebendo a Eucaristia que nos une a Ele e entre nós. Muito importantes também – lembrou Francisco – dias de retiro e os exercícios espirituais…”

Angelus em 31.08.2014

TORPEDO 1239



“De facto, nós cristãos vivemos no mundo, plenamente inseridos na realidade social e cultural do nosso tempo, e é justo que assim seja; mas isto comporta o risco de nos tornarmos mundanos, o risco de que “o sal perca o seu sabor”… que o cristão se dilua, perca a carga de novidade que lhe vem do Senhor e do Espírito Santo.
Ora deveria ser o contrário, observando que “quando nos cristãos permanece viva a força do Evangelho, essa pode transformar (como dizia Paulo VI) “os critérios de juízo, os valores determinantes, os pontos de interesse, as linhas de pensamento, as fontes inspiradoras, os modelos de vida” .(Evangelii nuntiandi).

Angelus em 31.08.2014